Porto Alegre mantém a campanha de imunização contra a gripe até o final dos estoques de vacina, para toda população, tendo ainda como prioridade os públicos-alvo, com ênfase para crianças e gestantes, grupos que ainda apresentam as mais baixas coberturas vacinais. 

Desde o início da campanha, em abril, a Capital vacinou 76,25% das pessoas que integram os grupos prioritários estabelecidos pelo Ministério da Saúde (MS). Conforme a Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde, não há indicativo de reposição de novas doses, de acordo com o setor de imunizações do Estado.
 

O vacinômetro do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI) indica que foram administradas 305.848 doses nos grupos prioritários da Capital. Até o final da manhã desta quinta-feira, 21, os grupos com menor percentual de imunizados permanecem o das crianças (53,35%) e gestantes (53,56%). Os demais superaram 60%: professores (78,69%), trabalhadores da saúde (75,00%), puérperas (81,19%), idosos (86,04%) e indígenas (91,43%). A meta estipulada pelo Ministério da Saúde é de imunização de 90% de cada grupo prioritário. Os dados são parciais e estão sujeitos a revisão.

Alerta – Conforme informativo emitido pela Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), até a semana epidemiológica 24, que vai de 31/12/2017 a 16/06/2018, foram investigados 514 casos suspeitos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), sendo que, desses, 320 são moradores de Porto Alegre. Dos casos notificados, 11 foram classificados como SRAG por Influenza A para o subtipo H1N1pdm09, oito para o subtipo H3N2, dois para Influenza A não subtipado e quatro do subtipo da Influenza B. Foram registrados dois óbitos, ambos em pacientes com fatores de risco, um por Influenza A (H1N1) pdm09 e outro por Influenza A H3 Sazonal (H3N2).

A SMS mantém o atendimento em todas as salas de vacina da rede, com horários diferenciados, de acordo com o funcionamento das unidades, sempre de segunda a sexta-feira, até o fim dos estoques de vacina: nas unidades de saúde, o atendimento vai das 8h às 17h; nas unidades São Carlos e Tristeza e no Centro de Saúde Modelo, das 8h às 22h; e na Clínica de Saúde da Família da Restinga, das 8h às 20h. Como a vacina precisa de no mínimo 15 dias para surtir proteção no organismo, a indicação é de que as pessoas sejam levadas ou se dirijam às unidades de saúde com a maior brevidade possível.

Os gestores da SMS enfatizam a importância da vacinação, especialmente nos grupos de risco elencados pelo Ministério da Saúde em 2018, pois essas pessoas são as mais suscetíveis às complicações da influenza. Com a imunização, caem os índices das complicações, os números de internações hospitalares, de casos da doença e, consequentemente, dos óbitos decorrentes da gripe.

O número de doses da vacina administradas pela SMS em Porto Alegre entre 23 de abril e a manhã de 21 de junho é de 475,047, incluindo 314,723 nos grupos de risco e 106,311 em pessoas com comorbidades. Outras informações, bem como orientações a profissionais de saúde, podem ser acessadas no site  SMS Porto Alegre.

Texto de: Vanessa Conte
Edição de: Fabiana Kloeckner
Foto: Cristine Rochol/PMPA

Deixe um comentário