O prefeito Nelson Marchezan Júnior coordenou reunião na manhã desta terça-feira, 17, com setores do comércio da Capital para alinhar estratégias que evitem a possibilidade de alastramento dos casos de contaminação do coronavírus na cidade. Entre as definições estão a criação de um canal permanente de comunicação da prefeitura com o setor, o fechamento de cinemas e teatros, redução na lotação de restaurantes, redução na circulação de pessoas nas lojas e shoppings centers e a permanência de portas e janelas abertas nos estabelecimentos comerciais. Nos próximos dias, poderão ser tomadas novas medidas em conjunto com o setor e, até o final do dia, deverá ser publicado decreto normatizando a atuação do setor.

“Neste momento, temos que ter serenidade e coragem para fazer o que precisa ser feito”, explica o prefeito Nelson Marchezan Júnior. “A cidade precisa parar para que possamos superar este momento. São importantes medidas como o isolamento voluntário, a higienização e focar nas pessoas idosas”, acrescenta. O chefe do Executivo salienta que o governo está buscando alternativas inovadoras junto com os setores para poder amenizar o impacto do coronavírus que está chegando ao país e poderá se agravar nas próximas semanas e meses.

Reuniões contínuas – Marchezan, que desde a segunda-feira, 16, tem feito reuniões contínuas com diversos setores da sociedade, reforça que o isolamento físico voluntário e a solidariedade social com os mais vulneráveis são essenciais e imprescindíveis neste momento. “Temos que focar nestas três ações: seriedade, serenidade e solidariedade. Ao mesmo tempo, temos que restringir os espaços”, explica.

O secretário da Saúde, Pablo Stürmer, lembrou que as ações planejadas estão sendo colocadas em prática para evitar a disseminação do vírus na Capital. O presidente do Sindilojas, Paulo Kruse, lembra que o comércio já está se preparando para o enfrentamento do coronavírus, com a redução do número de pessoas nas lojas, e também atuando com as janelas abertas. Ele defende o funcionamento do comércio e concorda com a necessidade de uma avaliação constante e novas ações, se necessárias.

Fechamento dos cinemas – O presidente da Federação Nacional das Empresas Exibidoras Cinematográficas, Ricardo Difini Leite, concorda com o fechamento das salas de cinema. “Já havíamos decido que esta era a melhor solução, mas não podíamos tomá-la unilateralmente. Agora com o decreto da prefeitura poderemos fechá-las. Defendo que o governador faça algo semelhante, em nível estadual”, diz.

O presidente da Associação Gaúcha do Varejo, Sérgio Galbiski, elogiou a atitude do prefeito de reunir setores e ouvir demandas e sugestões antes de elaborar o seu decreto. “Porto Alegre está sendo inovadora e servirá de exemplo para outras cidade”, diz.

Também participaram da reunião o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre, acompanhado por seu vice-presidente, respectivamente Irio Piva e Otelo Drebes; o superintendente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do RS, Leonardo Meira; o diretor de Relações Institucionais do Sindilojas, Alisson Martins; o diretor da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do RS, Abdon Barreto Filho; o diretor da Federação das Indústrias do RS, Antônio Germano; a presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes do RS, Maria Fernanda Tartori, e o presidente do Sindicato das Empresas Exibidoras e Cinematográficas e diretor do GNC, Hormar Castelo Júnior.

Texto de: Paulo Ricardo Fontoura/PMPA
Edição de: Fabiana Kloeckner/PMPA

Foto: Jefferson Bernardes/PMPA

Deixe um comentário