Campanha de imunização contra a gripe termina na sexta-feira

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

   Entrando na última semana da campanha nacional de vacinação contra influenza (gripe), Porto Alegre contabiliza um total de 401.213 doses da vacina aplicadas. Se contados apenas os grupos prioritários, a soma é de 393.868 doses, o que corresponde a 64,8% da meta estabelecida pelo Ministério da Saúde alcançada, que é de 90% de cada grupo-alvo (confira os números no quadro abaixo). O levantamento foi realizado às 9h desta segunda-feira, 27. A campanha de vacinação está prevista para ser encerrada em todo o país na próxima sexta-feira, 31.

   Puérperas, indígenas e professores superaram os 90% de imunização. Os grupos com menores percentuais são crianças (57,5%), pessoas com doenças crônicas (50,6%) e gestantes (49,5%).

   O número dos grupos inclui as vacinas feitas em crianças de seis meses a menos de seis anos, gestantes, puérperas, trabalhadores da saúde, indígenas, idosos, professores e pessoas com doenças crônicas. Além desses, que compõem o cálculo da meta, também recebem a vacina pessoas privadas de liberdade, funcionários do sistema prisional e funcionários da segurança pública e forças armadas. Nesses públicos, o número de doses alcança 7.345.

Grupos, público estimado, doses e coberturas alcançadas até a manhã desta segunda-feira, 27:
Crianças – 90.391 público / 51.966 doses / 57,5% cobertura
Gestantes – 13.976 / 6.924 / 49,5%
Puérperas – 2.297 / 2.073 / 90,2%
Trabalhadores da saúde – 82.464 / 53.956 / 65,4%
Indígenas – 595 / 789 / 132,6%
Idosos – 213.003 / 169.528 / 78,6%
Professores – 11.870 / 11.200 / 94,3%
Pessoas com doenças crônicas – 192.446 / 94.432 / 50,6%
Total estimado nos grupos: 607.042 pessoas.
Total de doses nos grupos – 393.868 – 64,8% da meta

Outras doses aplicadas:
Apenados – 2.727
Funcionários sistema prisional – 1.494
Policiais e afins – 3.124
Total – 7.345

Total de doses aplicadas em Porto Alegre, de acordo com registros do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações: 401.213.

   O diretor da Vigilância em Saúde Municipal, Anderson de Lima, enfatiza a importância da imunização. “A vacina diminui o risco de complicações que podem levar à hospitalização e até mesmo à morte”. Não há óbitos registrados em 2019 em Porto Alegre decorrentes de influenza. “No entanto, no Rio Grande do Sul, três pessoas perderam a vida em função da doença, as três integrantes de grupos de risco: uma criança e duas pessoas com mais de 60 anos que tinham comorbidades”, destaca.

   Para garantir proteção ao organismo, a vacina precisa de um período mínimo de 15 dias a partir da aplicação. “Quanto mais cedo a pessoa for imunizada, mais cedo a proteção será garantida”, explica o gestor.

 

Texto de: Patrícia Coelho/PMPA
Edição de: Andrea Brasil/PMPA
Foto: Robson da Silveira/ PMPA