Tramita, na Câmara Municipal de Porto Alegre, projeto de lei de autoria do vereador João Carlos Nedel (PP) que denomina Rua Roni Angelo Ferrari o logradouro público cadastrado conhecido como Rua Sete Mil, Cento e Cinquenta e Três, localizado no Bairro Restinga.

Caso aprovado, as placas denominativas conterão, abaixo do nome do logradouro, os seguintes dizeres: “Um homem solidário e presidente da Casa da Sopa”.
Nascido em 3 de abril de 1954, na localidade de Boqueirão do Leão, à época distrito de Lajeado (RS), Ferrari se mudou para a Capital em 1976, assumindo a tesouraria da empresa de ônibus Sentinela, da qual se desligou somente em 1991, quando passou a trabalhar na área de tráfego da Restinga Transportes Coletivos. Tempos depois, naquela mesma empresa, passou a ocupar a gerência operacional.
“Em 1999, sentado à sombra de uma árvore, na Vila Restinga, Roni viu despertar seu espírito solidário ao conhecer a ‘Tia Eva’, que realizava distribuições gratuitas de alimentos a famílias carentes do bairro. O exemplo humanitário daquela senhora o deixou impressionado, a ponto de fazê-lo abraçar a causa altruísta ao lado da tia Eva”, relata Nedel. Com a morte de Eva, ocorrida em 2005, Roni assumiu a entidade e, com a ajuda de voluntários, todas as quartas-feiras, distribuiu milhares de pratos de sopa aos necessitados do bairro Restinga. Porém, lembra o vereador, o trabalho de Roni, na Casa da Sopa, não se limitava apenas a doar alimentos às quartas-feiras. Através de parcerias, a entidade também emprestava e, por vezes, doava cadeiras de rodas, muletas, camas hospitalares e outros itens de primeira necessidade. Roni também promovia cursos e oficinas que possibilitassem aos atendidos produzir suas próprias rendas.
Em reconhecimento ao seu trabalho na instituição, Roni recebeu, em 2009, o Título de Cidadão de Porto Alegre. Por duas oportunidades, concorreu a uma cadeira na Câmara Municipal da Capital. Em ambas ocasiões ficou na suplência e chegou a assumir o cargo por vários dias, em períodos de licenças dos respectivos titulares. Roni faleceu em 20 de julho de 2018, vítima de infarto, deixando a Casa da Sopa nas mãos de Marlene Sbruzzi Ferrari, viúva de Roni, e dos demais voluntários e parceiros do projeto.

Texto: Matheus Lourenço / CMPA

Edição: Carlos Scomazzon / CMPA

Deixe um comentário