Acompanhar o paciente desde a solicitação de internação na rede hospitalar, evolução do caso, transferência e alta pode ser feito em plataforma web unificada.

Até o fim de março, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) atinge 100% do monitoramento de leitos hospitalares pelo Sistema Único de Saúde na Capital, o que permite acompanhar toda a movimentação do paciente, da internação à alta, operando de forma integrada aos hospitais.

Tal índice foi possível graças a investimentos em informatização, incluindo o Sistema de Gerenciamento de Internações (Gerint), que começou a operar em janeiro de 2018 na área de regulação. No que se refere ao tempo de espera, 75% dos pacientes obtiveram autorização de acesso ao hospital em menos de 24 horas da solicitação, 12% entre 24 e 48 horas e apenas 13% aguardaram mais de 48 horas. Os dados são relativos a dezembro de 2018.

O sistema mostra uma ampliação de 115% no registro de internações, de 73 mil em 2017 para 158 mil no ano seguinte. De acordo com a Coordenação de Regulação da SMS, pela primeira vez é possível estabelecer a métrica de internações hospitalares. “Hoje, a secretaria consegue acompanhar de perto as internações feitas na cidade, identificando onde estão os leitos livres”, explica o coordenador Jorge Osório.

“O Gerint está plenamente implantado e em constante aperfeiçoamento para regular o acesso às internações do SUS em Porto Alegre”, diz Osório. Entre as funcionalidades, destaca-se o mapa de leitos atualizado, por hospital, o cadastro da solicitação de internação com a evolução diária e a prioridade do caso, conforme as situações mais urgentes.

O protocolo de regulação estabelece como princípios a equidade e a racionalidade na alocação de recursos, disponibilizando a alternativa assistencial mais adequada à necessidade da população. “Consideramos critérios como estabilidade e gravidade do paciente, bem como o suporte oferecido no serviço onde a pessoa recebe o primeiro atendimento”, comenta. O tempo-resposta necessário e o parecer médico também são avaliados.

Inovação – O Gerint faz parte do Sistema de Informações para o Complexo Regulador, desenvolvido pela prefeitura, por intermédio da Companhia de Processamento de Dados do Município de Porto Alegre (Procempa) e da SMS. “A capital gaúcha pode ser considerada referência em qualidade, equidade, inovação e transparência nas ações e estratégias de regulação do acesso à assistência e transição do cuidado”, avalia o secretário municipal de Saúde, Pablo Stürmer.

A iniciativa já recebeu os prêmios Smart Cities – Cidades Inteligentes: categoria Inovação em Saúde, Experiências Exitosas no SUS: temática Inovação e Informatização do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems) e Melhor Experiência na Temática Regulação do SUS no Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).

Texto de: Vanessa Conte/PMPA
Edição de: Andrea Brasil/PMPA

Deixe um comentário